Programação ainda vale a pena? Dá dinheiro? Profissionais contam como está o setor (e dão dicas)

Área da TI permanece aquecida e há vagas disponíveis, mas os salários altos que sempre chamaram a atenção podem ser impactados pela economia enfraquecida; g1 traz guia completo para quem deseja entrar no mundo dos códigos. Por Darlan Helder, g1

Programação ainda vale a pena? Dá dinheiro? Profissionais contam como está o setor (e dão dicas)
Patricia Alves é engenheira de dados e entrou na área estudando programação. — Foto: Celso Tavares/g1

Você, certamente, já ouviu de alguém que programação dá dinheiro, certo? Mas com tanta empresa de tecnologia demitindo, será que a área, que permite ao profissional desenvolver sites, jogos, aplicativos, entre outros, ainda é vantajosa?

Especialistas dizem que, apesar do mau momento no setor, codar – que nada mais é do que programar usando códigos – ainda vale a pena. E existe espaço para novos talentos. 

O número de vagas no setor de tecnologia cresceu 34,3% entre janeiro e outubro de 2022, segundo um levantamento do portal Empregos.com.br. Nesse período, mais de 70 mil novas oportunidades foram abertasProgramação foi a segunda área com mais demanda, atrás apenas de desenvolvimento.

SoulCode + Gran
 

O que faz as pessoas irem para o mundo dos códigos são os salários muitas vezes atrativos, a flexibilidade na rotina e as chances de crescimento, uma vez que tecnologia muda o tempo todo e tem sempre coisa nova rolando nesse universo.

Por outro lado, Viviane Sampaio, gerente de recrutamento para TI na consultoria Robert Half, analisa que, com a economia fraca, as contratações em 2023 estarão focadas em perfis com menor nível profissional, como juniores, que estão começando. Por terem menos experiência, a remuneração também pode ser menor.

Nos últimos meses, o g1 ouviu especialistas e profissionais de várias regiões do Brasil. Com base nestes relatos, a reportagem traz, a seguir, uma série de dicas para quem deseja iniciar ou migrar para programação. 

Quanto você pode ganhar com Programação?

 

O programador para internet (web) é aquela pessoa que usa linguagens de programação para desenvolver sites, jogos, aplicativos, redes sociais e sistemas operacionais. O profissional também pode trabalhar com dados, para compreender o comportamento do usuário e ajudar a empresa a tomar decisões. O programador pode atuar em três segmentos diferentes:

 

  • Front-end: trabalha com a parte visual de sites e aplicativos, ou seja, aquelas áreas em que o usuário interage;
  • Back-end: é o oposto. Atua na parte em que o usuário não vê, isto é, a “parte de trás” de sites, apps e outras plataformas digitais;
  • Full Stack: é um profissional mais completo, que pode atuar tanto em Front como em Back.

 

A pedido do g1, a plataforma de empregos Catho levantou a média salarial do programador no Brasil em 2023. Ela está assim:

SoulCode + Gran lateral

“Ter uma rotina de trabalho que não me faça gastar 5 horas do dia dentro de uma condução me possibilita ter uma qualidade de vida melhor. Eu não me imagino mais trabalhando no modelo presencial, conta Patrícia Alves.

 

Apesar disso, as empresas exigem disciplina do programador, já que ele precisa interagir com outros colegas, além de lidar com as demandas dos clientes. “Home office é maravilhoso, mas como tudo na vida, é preciso ter disciplina e organizar bem tempo”, completa Alves.

A história de Patrícia Alves

Patricia Santos é uma mulher de 39 anos, casada e mãe de três filhos. Em 2000, iniciou a graduação de análise e desenvolvimento de sistemas, mas por diversos motivos não conseguiu concluir. Ela sempre teve o sonho de trabalhar com tecnologia, mas sua vida pessoal acabou adiando esse desejo.

Neste ano, Patrícia se muda para o Canadá, onde conseguiu uma oportunidade em tecnologia. E esse é um bom caminho para quem quer ganhar mais e ter novas experiências. Empresas estrangeiras buscam trabalhadores em outros países.

Trabalho remoto em dolár

Outro levantamento da Robert Half apontou que contratar um profissional do Brasil pode ser até 40% mais barato para a empresa do que ter um trabalhador americano.

O trabalho remoto já é popular em muitos setores e, tendo em vista que o real está mais desvalorizado que o dólar e o euro, se candidatar a vagas em empresas de fora pode ser um bom negócio.

%d blogueiros gostam disto: